terça-feira, 31 de julho de 2012

Blemya


Blemya - a monstrinha da coletividade sem fricções


A mensagem principal deste blog (Blemya) encontra-se na crença de que "A Super Coletividade” composta por belos e fortes diferentes indivíduos permitirá alcançar melhores presente e futuro". A simpática personagem da monstra blemya é diretamente relacionada ao que vivemos hoje; No início, ela pode ser muito assustadora, mas se você puder vencer essa negativa rejeição à monstra da coletividade, você certamente irá amá-la.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A Era das Grandes Pirâmides – o Egito no limiar de grandes transformações



Devido à dificuldade em descrever a situação política do Egito, sem ser chato, eu decidi escrever este artigo baseado no roteiro do filme “A Pirâmide de Cristal” ("Tut e Tuttle") de Ron Howard, que foi ao ar em 1982 aqui no Brasil pela TV Globo.


Read this article in English

Meditando sobre a pirâmide de cobre e segurando a sua versão reduzida de  cristal de quartzo (meu pai me presenteou ambas as pirâmides na década de setenta), fui ao Egito Antigo acompanhado por um leão protetor.

Chegamos precisamente no dia 13 de setembro de 2588 aC - ou, dia 27 Paopi dia do festival das luzes, os fogos de Neith

Nossos foram anfitriões foram o príncipe Rahotep e sua esposa Nofret.

Ele era um príncipe no Egito Antigo durante a quarta dinastia. Não ficou muito claro se ele é o filho do faraó Snefru com sua primeira esposa. Zahi Hawass sugere seu pai era Huni.


De qualquer forma, os títulos Rahotep foram inscritos em uma estatua feita em sua homenagem ao lado de sua esposa, Nofret, dentro de sua mastaba em Meidum em 1871 descrevendo-o como Sumo Sacerdote da Ra em Heliópolis (com o Título, exclusivo para Heliopolis, cidade de Rá, de "o maior dos Senhores"), Diretor de Expedições e Supervisor de Obras. Ele também tem um título dado a alta nobreza, "o filho do rei, nascido de seu corpo".

O Irmão mais velho Rahotep foi Nefermaat, e seu irmão mais novo foi Ranefer. Rahotep morreu ainda quando jovem.

A esposa de Rahotep, Nofret é muito bonita, seus pais não são conhecidos e as circunstâncias que a fizeram casar-se com Rahotep são incertas.

Nofret e Rahotep tiveram três filhos - Djedi, Itu e Neferkau - e três filhas - Mereret, Nedjemib e Sethtet.

Rahotep nos disse que deveria viajar para as minas de turquesa do Sinai, e se quisermos, poderíamos ir com ele para encontrar seu meio-irmão Khufu que será o faraó quando da morte de Snefru.

Snefru tem de assegurar um extenso trabalho e armazenamento de materiais a fim de permitir a empreender os gigantescos projetos de construção (tais como as pirâmides).

(De acordo com Guillemette Andreu, este é o lugar onde a política externa do rei desempenhou um grande papel. As conquistas de Sneferu na Líbia e Núbia serviram a dois propósitos: O primeiro foi o de estabelecer uma extensa força de trabalho, e o segundo era o de ter acesso a matéria-prima e produtos especiais disponíveis nesses países. Tal como é mencionado na pedra Palermo:

"... A construção de navios Tuataua de madeira de Mer com capacidade para cem, e 60 barcos reais com capacidade para 16. A Campanha na Terra dos Negros, e a captura de sete mil prisioneiros, homens e mulheres, e vinte cabras ...
A Chegada de quarenta navios de madeira de cedro (ou talvez "carregado com madeira de cedro") ... "

Os esforços militares Sneferu na Líbia levaram à captura de 11 mil presos e 13.100 cabeças de gado. Além da extensa importação de cedro (provavelmente vindas do Líbano), descrito acima, evidências de atividade nas minas de turquesa na Península de Sinai e também grandes projetos de pedreiras para abastecer Sneferu com a pedra necessárias para as suas pirâmides).

A viagem foi tensa, a popularidade de Sneferu após suas rápidas e eficazes campanhas deixava muito a desejar. As pessoas pareciam estar olhando para nós com uma expressão desconfiada.

Chegamos minas de turquesa de noite e o futuro faraó Khufu de apenas 23 anos estava tendo problemas com um grupo de Mentiu (ou Moniti, um nome que aplicado a uma tribo de beduínos que usam chapéus estranhos da Península do Sinai).

O líder do grupo, aproveitou da estrada relativamente aberta para atracar Khufu. Rahotep reagir imediatamente, poupando a vida de seu meio-irmão.


Sobre as colinas rochosas do que é conhecido hoje como Wady Magharah, nós podíamos ver tábuas de pedra mostrando o monarca no ato de ferir um inimigo, o qual ele segura pelos cabelos de sua cabeça, com uma maça. A ação é aparentemente emblemática, pois ao lado vemos os dizeres “Ta Satu” – “aquele que espanca as nações”;

Sneferu chamar a si mesmo de Neter aa, "Grande Deus", e mat Neb, "o Senhor da Justiça." Ele também era o  "Hórus de Ouro", ou "o Conquistador". Mat Neb não é um título de costume com os monarcas egípcios, e sua assunção, por parte Sneferu parece marcar, em todo caso, seu apreço pela excelência da justiça, e seu desejo de ter a reputação de um governante justo.

Sneferu tinha reduzido a submissão dessas tribos, que em seu tempo habitaram a região do Sinai. O motivo do ataque não foi mera cobiça de conquista, mas sim o desejo de ganhar.

Após a vingança da tribo Mentiu atacando Khufu, fomos aos aposentos de Ankhaf.



De volta a Menphis, fomos ao templo de Ptah para receber as bênçãos do Sumo Sacerdote, 
e depois para o templo de Toth, onde Ankhaf iria cuidar das lesões de Khufu.

Nofret estava lá, e deixou o local com um olhar estranho em seus olhos. 
Não quero ser tidfo como fofoqueiro - mas acredito que Nofret está tendo um caso com Ankhaf.

Ankhhaf o filho de faraó Snefru com uma esposa de desconhecida. Ele tinha um irmão mais velho, Kanefer. Ele era mais jovem meio-irmão de Khufu, que se tornou rei após a morte Sneferu. Ankhhaf tinha os títulos de "filho mais velho do rei de seu corpo" (sa nswt n khtf smsw), "vizir" e "o grande dentre os cinco da casa de Thoth" (wr djw pr-Djehuti).

O túmulo de Ankhhaf em Gizé (7510 G) retrata a sua irmã-esposa Hetepheres. Hetepheres era a filha mais velha de Sneferu e da rainha Hetepheres I, portanto, meia-irmã de Ankhhaf. Hetepheres tinha os títulos de "filha mais velha do rei de seu corpo", "aquela a quem ele ama" (sat nswt n khtf smst mrt.f) e "Sacerdotisa de Sneferu" (HMT-NTR Snfrw). Ankhhaf e Hetepheres tiveram uma filha, que era mãe de Ankhetef.

Ankhhaf e Hemiano foram os principais responsáveis pela construção da Grande Pirâmide de Gizé e desempenhou um papel na construção da Esfinge. (Mastaba Ankhaf do túmulo, 7510 G, foi o maior no cemitério oriental de Gizé).

Depois de dar atendimento a seu meio-irmão, Ankhaf veio falar conosco. Ele nos prometeu que na manhã seguinte, iríamos visitar as mais novas pirâmides de Snefru.



Os monumentos mais conhecidos do reinado de Sneferu são as três pirâmides, duas construídas em Dahshur (a pirâmide curvada e a pirâmide vermelha) e uma em Meidum (pirâmide de Meidum). Sob o reinado de Sneferu, aconteceu a grande evolução em estruturas piramidais, o que levaria a construção da Grande Pirâmide de Khufu.

A Pirâmide de Degraus de Meidum 
A primeira das três pirâmides é uma imensa estrutura de pedra. Ele serve como testemunho físico para a transição da estrutura pirâmide de degraus ao de uma estrutura piramidal "verdadeira".

(As investigações arqueológicas mostram que a pirâmide foi inicialmente concebida como uma estrutura de sete degraus, construídas de forma semelhante ao complexo de Djoser em Saqqara. Modificações posteriores foram feitas para adicionar uma outra plataforma, e ainda mais posteriormente foi adicionado um acabamento em calcário para suavizar a estrutura e dar a característica angular de uma "verdadeira" pirâmide).

A Pirâmide de dupla inclinação 
Também conhecida como a Pirâmide romboidal ou inclinada, atesta um aumento às já grandes inovações arquitetônicas. Como o nome sugere, o ângulo muda de inclinação de 55 ° para cerca de 43 ° nos níveis superiores da pirâmide. É provável que a pirâmide não foi inicialmente projetada para ser construída desta forma, mas foi modificado durante a construção, devido à instabilidades causadas durante a colocação das camadas superiores.

A pirâmide de satélite que complementa a Pirâmide curvada de Sneferu introduz mais mudanças na arquitetura da época, ao construírem uma passagem ascendente para o oeste (em oposição ao sentido convencionalmente descendente para norte construídas anteriormente) em direção às câmaras de sepultamento.

A Pirâmide Vermelha

Com o aumento da inovação em projetos de construção de Sneferu, espera-se que em sua última pirâmide, a Pirâmide Vermelha, demonstre a sua maior complexidade e maior nível de inovações. A primeira vista, pode-se decepcionar vendo que a construção da Pirâmide Vermelha, aparentemente é mais simples do que as anteriores. Considerando aos avanços alcançados pela equipe de Sneferu, câmaras secretas podem estar à espera de ser descobertas dentro da superestrutura de pedra. (Considerando que os restos mortais do rei Sneferu ainda não foram encontrados, pode ser que seu sarcófago e múmia estejam escondidas em uma parte misteriosa da grande estrutura).

Ankhafer faz uma piadinha sobre as suas primeiras pirâmides, dizendo que "a pirâmide curvada e a pirâmide de degraus de Meidum são os maiores rascunhos já construídos ao ar livre".

Algumas semanas depois, Sneferu sucumbiu a uma doença e Khufu subiu ao trono egípcio ainda novo.

Khufu foi o filho do rei Sneferu e da Rainha Hetepheres I, irmão da princesa  Hetepheres. Ao contrário do pai, Khufu era um cruel e impiedoso. Khufu tinha nove filhos, um dos quais, Djedefra, foi seu sucessor imediato. Ele também tinha quinze filhas, uma das quais mais tarde se tornaria Rainha Hetepheres II.

(Vários dos filhos de Khufu ficaram conhecidos a partir do papiro Westcar, enquanto as outras crianças são apenas mencionadas em suas tumbas em Giza. No cemitério G 7000 acham-se várias das mastabas dessas crianças reais.

A má reputação de Khufu durou pelo menos até o tempo de Heródoto, que contava ainda histórias sobre suas crueldades com o seu povo e até sua própria família, a fim de garantir a construção de sua pirâmide).

Khufu sabia que ele deveria construir a melhor pirâmide de todas, ele tinha a mais experiente equipe de construtores, recursos financeiros, e determinação. 
Ele começou a trabalhar ainda antes do final do seu primeiro ano.

Um dos maiores enganos sobre a Grande Pirâmide de Khufu é que ela foi construída por escravos.

As descobertas de Zahi Hawass nos túmulos dos construtores das pirâmides no planalto de Gizé, finalmente descartaram definitivamente essa teoria.

Agora sabemos com certeza que as pirâmides foram construídas por homens e mulheres egípcias - e não escravos! Escravidão, enquanto ele existia no Antigo Egito, não foi uma parte importante da economia, especialmente no Reino Antigo, e, além disso, é importante analisar o significado da palavra "escravidão". Nós consideramos com escravidão a propriedade de uma pessoa. No Egito Antigo a palavra "escravidão" tinha o mesmo significado de "servo", uma pessoa que trabalha para outro.

A construção de pirâmides foi um projeto nacional. O monumento simboliza a enorme força e poder da casa real. No Egito Antigo, foi essencial para o faraó construir um túmulo para garantir o seu renascimento como um Deus após a morte e, assim, magicamente manter a ordem correta do universo. Cada casa do Alto ao Baixo Egito participou da construção do túmulo do Faraó (pirâmide). Cada família ajudou enviando alimentos, materiais e mão de obra. De inscrições hieroglífica e pichações podemos inferir que os construtores e artesãos qualificados provavelmente trabalharam durante todo o ano no local da construção da pirâmide. Camponeses das aldeias vizinhas e províncias participaram do trabalho como temporários.
Hora de voltar para o futuro, agora nós sabemos as forças por trás da construção deste monumento intrigante.

"Opa" Parece que eu trouxe uma pequena lembrança do antigo Egito.


sábado, 5 de março de 2011

Símbolo da Pós Escassez


Eu fui incumbido de criar um logotipo para a Pós-Escassez.


Sendo um logotipo universal este deve ter elementos de diferentes culturas e crenças, Chinês, Egípcios antigo, Maia, Cristãos, budistas, Pagãos, entre outros.


O círculo em torno do logotipo simboliza as esferas do universo, trabalhando juntos em harmonia infinita. Representa o compromisso de trabalhar para e pelo sistema universal por inteiro.


A cor bordô ou roxo simbolizam a riqueza em muitas culturas, sucesso e prosperidade. É indicativo do poder potencial de cada um.


A cor amarelo açafrão é associado com as vestes usadas pelos monges tibetanos de algumas linhagens budistas, os monges chineses de Shao Lin e ascetas hindus. E também é a cor do ouro - representa uma grande riqueza.


Por associação, o ouro é também a cor da nobreza. No entanto, embora o Buda histórico foi o filho de um rei, é o seu Darma (ensinamentos e métodos) que é considerado o mais nobre.


Em grande parte da Ásia, a terra em si é muito amarelada, de modo que a cor se refere à nossa Terra. Por extensão, em seguida, o amarelo simboliza também uma base da Fundação.


Cada componente de uma próspera Sociedade Pós-Escassez deve ser diversa da mesma forma que cada célula é diversa, e servir como cada célula serve a um propósito. Cada um de nós é o melhor do universo em algo, nós apenas temos que descobrir o nosso talento especial.


Os círculos ligados às linhas verticais representam células ligadas as teias do universo, que trabalho em conjunto faz Cornucópia da Fartura, símbolo da abundancia e fartura, que significa prosperidade, fertilidade e bem-estar. Todo ser vivo na sociedade da Terra tem um propósito, assim como no corpo de qualquer ser vivo cada célula tem um propósito.


Em resumo, o logotipo reflete a capacidade de reconhecer a abundância e fazer o perfeito uso da mesma. Através de uma harmonia maior entre valores e comportamentos, o logotipo inspira cada homem a ser parte de uma grande sociedade próspera.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Desenhos ganham vida depois de 3800 anos Parte II - Pedra Rosetta



A palavra hieróglifo para designar os símbolos, ícones e índices egípcios antigos vem do grego: ἱερός (hierós) "sagrado", e γλύφειν (glýphein) "escrita". Apenas os sacerdotes, membros da realeza, altos cargos, e escribas conheciam a arte de ler e escrever esses sinais "sagrados".

read this article in English

A escrita hieroglífica constitui provavelmente o mais antigo sistema organizado de escrita no mundo, era utilizada originalmente para inscrições formais nas paredes de templos e túmulos. Com o tempo evoluiu para formas mais simplificadas, como o hierático, uma variante mais cursiva que se podia pintar em papiros ou placas de barro, e ainda mais tarde, com a influência grega crescente no Oriente Próximo, a escrita evoluiu para o demótico, fase em que os hieróglifos iniciais ficaram bastante estilizados, havendo mesmo a inclusão de alguns sinais gregos na escrita.

A forma que e esta escrita, bem como, o idioma Egípcio desapareceram esta bem explicada no artigo deste blog http://psico-pictografia.blogspot.com/2011/02/desenhos-ganham-vida-depois-de-3800.html

Muitos outros haviam tentado decifrar os hieróglifos sem muito sucesso, as antigas interpretações eram muito mais voltadas para a escola mística (de forma bastante equivocada) do que para a escola cientifica. Eis que surge Jean-François Champollion (Figeac, 23 de Dezembro de 1790 — Paris, 4 de Março de 1832).

Champollion tinha como grande amigo e incentivador o físico Joseph Fourrier, que admirava muito a inteligência daquele jovem 11 anos. Champolion andava pela casa de Fourrier e admirava muito a coleção de arte egípcia, reunidas durante as expedições napoleônicas. “O que significa isso?” perguntava o garoto e a resposta de Fourrier era sempre a mesma – “Ninguém sabe”.

A genialidade lingüística e sua compulsiva e persistente paixão por conhecer o Egito fizeram com que Champollion não descansasse, ele conhecia mais de doze idiomas, muitos deles do Oriente Próximo. Era uma das poucas pessoas, no começo do século dezenove, que conheciam o copta, língua que sucedeu ao egípcio antigo.

Havia uma forte corrente na época que dizia que os hieróglifos eram meras metáforas pictóricas, mas a riqueza de detalhes e o enorme numero de imagens, bem como os padrões repetitivos indicavam claramente a Champollion uma forma de escrita.

Ate que Champollion começa a estudar uma pedra negra encontrada por um soldado Frances que servia na cidade de Rashid no ano de 1799. Era evidente para Champollion que o texto se repetia nas três formas de escrita. Champollion leu facilmente a parte em grego e descobriu tratar-se de inscrições em comemoração a coroação de Ptolomeu V Epfânio, pelo congresso de sacerdotes de Mênfis na primavera de 196 a.C.





O Texto em Grego

“CA - 1. No reinado do jovem que sucedeu o pai na realeza, senhor de diademas, o mais glorioso, aquele que fundou o Egito e foi piedoso.

2. Para os deuses, triunfantes sobre seus inimigos, que restabeleceram a vida civilizada dos homens o senhor dos festivais dos Trinta Anos, como Hephaistos, o Grande, um rei como o Sol,

3. Grande rei dos países Alto e Baixo, concebido pelos Deuses Philopatores, um dos quais Hephaistos aprovou, para quem o Sol tem concedido a vitória, a imagem viva de Zeus, filho do Sol, Ptolomeu

4. Abençoado com a vida eterna, amada\o de Ptah, no nono ano, quando o filho de Aetos era o sacerdote de Alexandre, e os Deuses Soteres, e os Deuses Adelphoi, e os Deuses Euergetai, e os Deuses Philopatores e

5. O Deus Epifânio EUCHARISTOS; Pirra filha de Philinos que é Athlophoros de Berenike Euergetis, filha de Areia de Diogenes qsendoKanephoros de Arsinoe Philadelphos; Irene

6. Filha de Ptolomeu a Sacerdotisa de Arsinoe Filopator, o quarto do mês de Xandikos, de acordo com os egípcios, o 18 º Mekhir.

CB - DECRETO. Estando juntos os Chefes dos Sacerdotes e Profetas e aqueles que adentram ao interior do santuário para colocar as vestimentas de

7. Deuses, e os portadores de abanos e os Escribas Sagrados e todos os outros sacerdotes dos templos ao longo da terra que vieram ao encontro do rei em Memphis, para a festa da Assunção

8. Por Ptolomeu, a abençoado com a vida eterna, o amado de Ptah, Deus Epifânio EUCHARISTOS, a realeza na qual ele sucedeu seu pai, estando eles juntos no templo de Memphis neste dia declararam:

CC - 9. Considerando que o rei Ptolomeu, a abençoado com a vida eterna, o amado de Ptah, o deus Epifânio EUCHARISTOS, o filho do rei Ptolomeu e da rainha Arsinoe, os Deuses Philopatores, foi um benfeitor tanto para os templos e

10. Para aqueles que neles habitam, bem como todos aqueles que são seus súditos, sendo um Deus concebido por um deus e uma deusa (como Hórus, o filho de Ísis e Osíris, que vingou seu pai Osíris) (e) estando benignamente despachado para

11. Os deuses, dedicaram aos templos rendas em dinheiro e milho e empreendeu muito para trazer o Egito para prosperidade, e estabelecer os templos,

12. E têm sido generosos com todos seus próprios meios, e das receitas e impostos arrecadados no Egito alguns ele remeteu totalmente e outros que ele aliviou, para que o povo e todos os outros tenham a chance de

13. viver na prosperidade durante seu reinado; CD - e considerando que ele aliviou as dívidas dos muitos que deviam no Egito e do resto do reino absorvendo-as pela coroa. E que aqueles que foram

14. presos, e aqueles que estavam sob sentença há muito tempo, ele os livrou das acusações, e considerando que ele fez com que os Deuses continuem desfrutando das rendas dos templos e das mesadas anuais dadas a eles, tanto de

15. Milho como de dinheiro, igualmente também a renda atribuída aos deuses da terra das vinhas e dos jardins e outras propriedades que pertenciam aos Deuses no tempo de seu pai;

CE - 16. E que ele também se dirigiu com respeito aos sacerdotes, para que eles não precisassem mais pagar a taxa de admissão ao sacerdócio mais carão do que aquela paga durante o reinado de seu pai e até o primeiro ano de seu próprio reinado, e isentou os membros das

17. ordens sacerdotais da viagem anual para Alexandria; e considerando que ele retirou a obrigatoriedade de alistamento para a marinha e do imposto em linho fino pago pelos templos à coroa ele

18. reduziu dois terços, e para todas as coisas que foram negligenciadas em tempos anteriores ele restabeleceu a ordem, teve o cuidado de rever como os direitos tradicionais deverão ser devidamente pagos ao Deuses;

19. E da mesma forma tem proporcionado justiça a todos, como Hermes, o grande dos grandes; CF - e ordenou que aqueles que retornassem da classe de guerreiros, e de outros que fossem desprovidos

20. de seus pertences em dias de distúrbios, deveriam, quando do seu regresso serem permitidos a ocuparem as suas posses antigas; e considerando que ele, fez com que a cavalaria e a infantaria e os navios deveriam ser enviados contra aqueles que invadiram

21. o Egito por mar e por terra, investindo grandes somas em dinheiro e milho para que os templos e todos aqueles que estão na terra possam estar em segurança; CG - e tendo

22. ido a Lycopolis no Nomo de Busirite, que havia sido ocupada e fortificada contra um cerco com uma quantidade abundante de armas, e todos os demais suprimentos (já que agora era desafeto de longa

23. data dentre os homens incrédulos que haviam se juntado a ele, que tinha perpetrado muito dano aos templos e para todos os habitantes do Egito), e tendo

24. ele encampado esta querela, cercou com montículos e trincheiras e com fortificações elaboradas; quando o Nilo fez uma grande elevação no oitavo ano (de seu reinado), que normalmente inunda

25. as planícies, prevendo isto, ele represou em diversas localidades as saídas dos canais (dispondo para isso de pequena quantia em dinheiro), e dispôs a cavalaria e infantaria para tomarem conta

26. E então, em curto espaço de tempo ele tomou a cidade rápido como um raio e dizimou todos os incrédulos, tal qual Hermes e Hórus, o filho de Ísis e Osíris, anteriormente subjugaram os rebeldes no mesmo

27. distrito, e como para aqueles que haviam liderado os rebeldes, no tempo de seu pai e quem tinham perturbado a terra e profanado os templos, ele veio a Memphis para vingar

28. seu pai e sua própria realeza, e os castigou como mereciam, no momento em que ele lá chagou para dar inicio as próprias cerimônias de coroação, e considerando que ele remeteu o que

CH - 29. era devido à coroa pelos templos até o seu oitavo ano, não sendo esta uma pequena quantia em dinheiro ou milho, bem como as multas pelo fato de o linho fino



30. não ter sido entregue à coroa, e da parte entregue, as várias taxas para sua verificação, para o mesmo período, e ele também livrou os templos do (imposto) da artabe para cada aroura de terra sagrada e igualmente

31. uma jarra de vinho para cada aroura de terrenos de produção de vinha, e considerando que ele deu muitos presentes em Apis e Mnevis e os outros animais sagrados no Egito, porque ele tivera muito mais consideração do que os reis que reinaram antes dele e tudo que dizia respeito

32. aos Deuses, aos funerais ele deu o que era apropriado e esplendoroso, e o que foi pago regularmente para os santuários especiais, com sacrifícios, festivais e outras observâncias habituais;

33. E ele manteve a honra dos templos e do Egito, de acordo com as leis, e ele adornou o templo de Apis com trabalho rico, investindo neles com ouro e prata

34. e pedras preciosas, não fez economia, e considerando que ele fundou templos e santuários e altares, e restaurou aqueles que precisavam ser restaurados, tendo o espírito de um Deus beneficente em assuntos pertinentes à

35. religião, e que, após criteriosa pesquisa veio a restaurar o mais honrado aos Deuses que lhe proporcionaram a vitória, saúde e alimentação, e todas as outras coisas boas,

CI - 36. e ele e seus filhos deverão manter a realeza para todo o sempre. COM FORTUNA PROPÍCIA: Foi estabelecido pelos sacerdotes de todos os templos da terra aumentar grandemente as honras existentes de

37. Rei PTOLEMAIO, O ABENÇOADO COM A VIDA ETENA, O AMADO DE PTAH, O DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS, também os de seus pais os Deuses Philopatores, e de seus antepassados, os Deuses e Euergetai

38. Os Deuses Adelphoi e Soteres e criar no lugar mais proeminente de todo templo uma imagem do rei abençoado com a vida eterna PTOLEMAIO, O AMADO DE PTAH, O DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS,

39. Uma imagem que será chamada de “Ptolomeu, o defensor do Egito”, ao lado do qual deve estar o Deus principal do templo, entregando-lhe a arma da vitória, os quais devem ser fabricadas à

40. moda (Egípcia), e que os sacerdotes prestarão homenagem às imagens três vezes por dia, e vestirão as vestes sagradas, e executarão as outras honras habituais, como as dadas nas outras

41. festividades de Deuses do Egito, e estabelecerão para Rei PTOLEMAIO, O DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS, concebido pelo Rei Ptolomeu e pela rainha Arsinoe, os Deuses Philopatores, uma estátua e santuário dourado em cada um dos

42. templos, e para que seja arranjado no interior das câmaras de todos os outros templos; e nos grandes festivais nos quais os ostentórios são carregados em procissão o santuário do DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS deverá ser levado em procissão.

CJ - 43. E a fim de que seja reconhecido facilmente agora e por todo o tempo, deverá ser colocado em cima do santuário os dez diademas de ouro do rei, ao qual será adicionado um uraeus, mas em vez de

44. uraeus em forma de diademas, como os que são encontrados nos outros santuários, no centro deste deverá ter a coroa chamada de Pschent, a mesma que ele usou quando entrou no templo em Mênfis

45. Para que se de seqüência às cerimônias de coroação; deverão ser colocadas na superfície quadrada sobre os diademas, ao lado da coroa acima mencionada, os símbolos de ouro (em número de oito, significando)

46. que (o santuário) do rei que se manifestará sobre o Alto e Baixo pais (Egito). CK - E já que é a 30 de Mesore, mês que o aniversário do rei é celebrado, e da mesma forma (17 de Paophi)

47. dia em que sucedeu seu pai na realeza, eles celebrarão estas datas a honra de dias de festas nos templos, pois eles são fontes de grandes bênçãos para todos, foi ainda decretado que um festival será mantido nos templos em todo o Egito

48. Nestes dias em cada mês, sobre o qual haverá sacrifícios e libações e todas as cerimonias costumeiras em outros festivais (e as oferendas devem ser dadas aos sacerdotes que)

49. servidas nos templos. CL - E um festival será celebrado para o Rei PTOLEMAIO, O ABENÇOADO COM A VIDA ETERNA, O AMADO DE PTAH, O DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS, anualmente nos templos ao longo de todo

50. o país a partir de 1 de Thoth durante cinco dias, nos quais usarão guirlandas e farão sacrifícios e libações e outras honras habituais, e os sacerdotes (em cada templo) serão chamados

51. de sacerdotes de EUCHARISTOS DEUS EPIPHANES em adição aos nomes dos outros Deuses a quem eles servem, e seu sacerdócio será inscrito sobre todos os documentos formais (e será gravado nos anéis que eles usam);

52. E os indivíduos do povo serão também autorizados a celebrar o festival e montar o santuário referido e tê-lo em suas casas, realizando as comemorações acima descritas

53. anualmente, a fim de que possa ser conhecido por todos os homens do Egito que possam elevar e honrar o DEUS EPIPHANES EUCHARISTOS o rei, de acordo com a lei. CM - Este decreto será inscrito sobre uma estela de

54. pedra dura em inscrição sagrada [hieroglífica] e nativa [demótica] e caracteres gregos e configurar em cada um dos templos de primeira, segunda e terceira [classificação] ao lado da imagem do rei abençoado com a vida eterna.”

Texto original em Grego



1ΒΑΣΙΛΕΥΟΝΤΟΣ ΤΟΥ ΝΕΟΥ ΚΑΙ ΠΑΡΑΛΑΒΟΝΤΟΣ ΤΗΝ ΒΑΣΙΛΕΙΑΝ ΠΑΡΑ ΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΚΥΡΙΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΩΝ ΜΕΓΑΛΟΔΟΞΟΥ ΤΟΥ ΤΗΝ ΑΙΓΥΠΤΟΝ ΚΑΤΑΣΤΗΣΑΜΕΝΟΥ ΚΑΙ ΤΑ ΠΡΟΣ ΤΟΥΣ

2ΘΕΟΥΣ ΕΥΣΕΒΟΥΣ ΑΝΤΙΠΑΛΩΝ ΥΠΕΡΤΕΡΟΥ ΤΟΥ ΤΟΝ ΒΙΟΝ ΤΩΝ ΑΝΘΡΩΠΩΝ ΕΠΑΝΟΡΘΟΣΑΝΤΟΣ ΚΥΡΙΟΥ ΤΡΙΑΚΟΝΤΑΕΤΗΡΙΔΩΝ ΚΑΘΑΠΕΡ Ο ΗΦΑΙΣΤΟΣ Ο ΜΕΓΑΣ ΒΑΣΙΛΕΥΣ ΚΑΘΑΠΕΡ Ο ΗΛΙΟΣ

3ΜΕΓΑΣ ΒΑΣΙΛΕΥΣ ΤΩΝ ΤΕ ΑΝΩ ΚΑΙ ΤΩΝ ΚΑΤΩΝ ΧΩΡΩΝ ΕΚΓΟΝΟΥ ΘΕΩΝ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΩΝ ΟΝ Ο ΗΦΑΙΣΤΟΣ ΕΔΟΚΙΜΑΣΕΝ ΩΙ Ο ΗΛΙΟΣ ΕΔΩΚΕΝ ΤΗΝ ΝΙΚΗΝ ΕΙΚΟΝΟΣ ΖΩΣΗΣ ΤΟΥ ΔΙΟΣ ΥΙΟΥ ΤΟΥ ΚΑΙ ΟΥ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ

4ΑΙΩΝΟΒΙΟΥ ΗΓΑΠΗΜΕΝΟΥ ΥΠΟ ΤΟΥ ΦΘΑ ΕΤΟΥΣ ΕΝΑΤΟΥ ΕΦ ΙΕΡΕΩΣ ΑΕΤΟΥ ΤΟΥ ΑΕΤΟΥ ΑΛΕΞΑΝΔΡΟΥ ΚΑΙ ΘΕΩΝ ΣΩΤΗΡΩΝ ΚΑΙ ΘΕΩΝ ΑΔΕΛΦΩΝ ΚΑΙ ΘΕΩΝ ΕΥΕΡΓΕΤΩΝ ΚΑΙ ΘΕΩΝ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΩΝ ΚΑΙ

5ΘΕΟΥ ΕΠΙΦΑΝΟΥΣ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΥ ΑΘΛΟΦΟΡΟΥ ΒΕΡΕΝΙΚΗΣ ΕΥΕΡΓΕΤΙΔΟΣ ΠΥΡΡΑΣ ΤΗΣ ΦΙΛΙΝΟΥ ΚΑΝΗΦΟΡΟΥ ΑΡΣΙΝΟΗΣ ΦΙΛΑΔΕΛΦΟΥ ΑΡΕΙΑΣ ΤΗΣ ΔΙΟΓΕΝΟΥΣ ΙΕΡΕΙΑΣ ΑΡΣΙΝΟΗΣ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΟΣ ΕΙΡΗΝΗΣ

6ΤΗΣ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ ΜΗΝΟΣ ΞΑΝΔΙΚΟΥ ΤΕΤΡΑΔΙ ΑΙΓΥΠΤΙΩΝ ΔΕ ΜΕΧΕΙΡ ΟΚΤΩ ΚΑΙ ΔΕΚΑΤΗΙ ΨΗΦΙΣΜΑ ΟΙ ΑΡΧΙΕΡΕΙΣ ΚΑΙ ΠΡΟΦΗΤΑΙ ΚΑΙ ΟΙ ΕΙΣ ΤΟ ΑΔΥΤΟΝ ΕΙΞΠΟΡΕΥΟΜΕΝ ΟΙ ΠΡΟΣ ΤΟΝ ΣΤΟΛΙΣΜΟΝ ΤΩΝ

7ΘΕΩΝ ΚΑΙ ΠΤΕΡΟΦΟΡΑΙ ΚΑΙ ΙΕΡΟΓΡΑΜΜΑΤΕΙΣ ΚΑΙ ΟΙ ΑΛΛΟΙ ΙΕΡΕΙΣ ΠΑΝΤΕΣ ΟΙ ΑΠΑΝΤΗΣΑΝΤΕΣ ΕΚ ΤΩΝ ΚΑΤΑ ΤΗΝ ΧΩΡΑΝ ΙΕΡΩΝ ΕΙΣ ΜΕΜΦΙΝ ΤΩΙ ΒΑΣΙΛΕΙ ΠΡΟΣ ΤΗΝ ΠΑΝΗΓΥΡΙΝ ΤΗΣ ΠΑΡΑΛΗΨΕΩΣ ΤΗΣ

8ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΤΗΣ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ ΑΙΩΝΟΒΙΟΥ ΗΓΑΠΗΜΕΝΟΥ ΥΠΟ ΤΟΥ ΦΘΑ ΘΕΟΥ ΕΠΙΦΑΝΟΥΣ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΥ ΗΝ ΠΑΡΕΛΑΒΕΝ ΠΑΡΑ ΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΑΥΤΟΥ ΣΥΝΑΧΘΕΝΤΕΣ ΕΝ ΤΩΙ ΕΝ ΜΕΜΦΕΙ ΙΕΡΩΙ ΤΗΙ ΗΜΕΡΑΙ ΤΑΥΤΗΙ ΕΙΠΑΝ

9ΕΠΕΙΔΗ ΒΑΣΙΛΕΥΣ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΣ ΑΙΩΝΟΒΙΟΣ ΗΓΑΠΗΜΕΝΟΣ ΥΠΟ ΤΟΥ ΦΘΑ ΘΕΟΣ ΕΠΙΦΑΝΗΣ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΣ Ο ΕΚ ΒΑΣΙΛΕΩΣ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ ΚΑΙ ΒΑΣΙΛΙΣΣΗΣ ΑΡΣΙΝΟΗΣ ΘΕΩΝ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΩΝ ΚΑΤΑ ΠΟΛΛΑ ΕΥΕΡΓΕΤΗΚΕΝ ΤΑ Θ ΙΕΡΑ ΚΑΙ

10ΤΟΥΣ ΕΝ ΑΥΤΟΙΣ ΟΝΤΑΣ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΥΠΟ ΤΗΝ ΕΑΥΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΑΝ ΤΑΣΣΟΜΕΝΟΥΣ ΑΠΑΝΤΑΣ ΥΠΑΡΧΩΝ ΘΕΟΣ ΕΚ ΘΕΟΥ ΚΑΙ ΘΕΑΣ ΚΑΘΑΠΕΡ ΩΡΟΣ Ο ΤΗΣ ΙΣΙΟΣ ΚΑΙ ΟΣΙΡΙΟΣ ΥΙΟΣ Ο ΕΠΑΜΥΝΑΣ ΤΩΙ ΠΑΤΡΙ ΚΑΙ ΑΥΤΟΥ ΟΣΙΡΕΙ ΤΑ ΠΡΟΣ ΘΕΟΥΣ

11ΕΥΕΡΓΕΤΙΚΩΣ ΔΙΑΚΕΙΜΕΝΟΣ ΑΝΑΤΕΘΕΙΚΕΝ ΕΙΣ ΤΑ ΙΕΡΑ ΑΡΓΥΡΙΚΑΣ ΤΕ ΚΑΙ ΣΙΤΙΚΑΣ ΠΡΟΣΟΔΟΥΣ ΚΑΙ ΔΑΠΑΝΑΣ ΠΟΛΛΑΣ ΥΠΟΜΕΜΕΝΗΚΕΝ ΕΝΕΚΑ ΤΟΥ ΤΗΝ ΑΙΓΥΠΤΟΝ ΕΙΣ ΕΥΔΙΑΝ ΑΓΑΓΕΙΝ ΚΑΙ ΤΑ ΙΕΡΑ ΚΑΤΑΣΤΗΣΘΑΙ

12ΤΑΙΣ ΤΕ ΕΑΥΤΟΥ ΔΥΝΑΜΕΣΙΝ ΠΕΦΙΛΑΝΔΡΩΠΗΚΕ ΚΑΙ ΑΠΟ ΤΩΝ ΥΠΑΡΧΟΥΣΩΝ ΕΝ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΠΡΟΣΟΔΩΝ ΚΑΙ ΦΟΡΟΛΟΓΙΩΝ ΤΙΝΑΣ ΜΕΝ ΕΙΣ ΤΕΛΟΣ ΑΦΗΚΕΝ ΑΛΛΑΣ ΔΕ ΚΕΚΟΥΦΙΚΕΝ ΟΠΩΣ Ο ΤΕ ΛΑΟΣ ΚΑΙ ΟΙ ΑΛΛΟΙ ΠΑΝΤΕΣ ΕΝ

13ΕΥΘΗΝΙΑΙ ΩΣΙΝ ΕΠΙ ΤΗΣ ΕΑΥΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΤΑ ΤΕ ΒΑΣΙΛΙΚΑ ΟΦΕΙΛΗΜΑΤΑ Α ΠΡΟΣΟΦΕΙΛΟΝ ΟΙ ΕΝ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΚΑΙ ΟΙ ΕΝ ΤΗΙ ΛΟΙΠΗΙ ΒΑΣΙΛΕΙΑΙ ΑΥΤΟΥ ΟΝΤΑ ΠΟΛΛΑ ΤΩΙ ΠΛΗΘΕΙ ΑΦΗΚΕΝ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΕΝ ΤΑΙΣ ΦΥΛΑΚΑΙΣ

14ΑΠΗΓΜΕΝΟΥΣ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΕΝ ΑΙΤΙΑΙΣ ΟΝΤΑΣ ΕΚ ΠΟΛΛΟΥ ΧΡΟΝΟΥ ΑΠΕΛΥΣΕ ΤΩΝ ΕΓΚΕΚΛΗΜΕΝΩΝ ΠΡΟΣΕΤΑΞΕ ΔΕ ΚΑΙ ΤΑΣ ΠΡΟΣΟΔΟΥΣ ΤΩΝ ΙΕΡΩΝ ΚΑΙ ΤΑΣ ΔΙΔΟΜΕΝΑΣ ΕΙΣ ΑΥΤΑ ΚΑΤ ΕΝΙΑΥΤΟΝ ΣΥΝΤΑΞΕΙΣ ΣΙΤΙ

15ΚΑΣ ΤΕ ΚΑΙ ΑΡΓΥΡΙΚΑΣ ΟΜΟΙΩΣ ΔΕ ΚΑΙ ΤΑΣ ΚΑΘΗΚΟΥΣΑΣ ΑΠΟΜΟΙΡΑΣ ΤΟΙΣ ΘΕΟΙΣ ΑΠΟ ΤΕ ΤΗΣ ΑΜΠΕΛΙΤΙΔΟΣ ΓΗΣ ΚΑΙ ΤΩΝ ΠΑΡΑΔΕΙΣΩΝ ΚΑΙ ΤΩΝ ΑΛΛΩΝ ΤΩΝ ΥΠΑΡΧΑΝΤΩΝ ΤΟΙΣ ΘΕΟΙΣ ΕΠΙ ΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΑΥΤΟΥ

16ΜΕΝΕΙΝ ΕΠΙ ΧΩΡΑΣ ΠΡΟΣΕΤΑΞΕΝ ΔΕ ΚΑΙ ΠΕΡΙ ΤΩΝ ΙΕΡΕΩΝ ΟΠΩΣ ΜΗΘΕΝ ΠΛΕΙΟΝ ΔΙΔΩΣΙΝ ΕΙΣ ΤΟ ΤΕΛΕΣΤΙΚΟΝ ΟΥ[Κ] ΕΤΑΣΣΟΝΤΟ ΕΩΣ ΤΟΥ ΠΡΩΤΟΥ ΕΤΟΥΣ ΕΠΙ ΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΑΥΤΟΥ ΑΠΕΛΥΣΕΝ ΔΕ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΕΚ ΤΩΝ

17ΙΕΡΩΝ ΕΘΝΩΝ ΤΟΥ ΚΑΤ ΕΝΙΑΥΤΟΝ ΕΙΣ ΑΛΕΞΑΝΔΡΕΙΑΝ ΚΑΤΑΠΛΟΥ ΠΡΟΣΕΤΑΞΕΝ ΔΕ ΚΑΙ ΤΗΝ ΣΥΛΛΗΨΙΝ ΤΩΝ ΕΙΣ ΤΗΝ ΝΑΥΤΕΙΑΝ ΜΗ ΠΟΙΕΙΣΘΑΙ ΤΩΝ Τ ΕΙΣ ΤΟ ΒΑΣΙΛΙΚΟΝ ΣΥΝΤΕΛΟΥΜΕΝΩΝ ΕΝ ΤΟΙΣ ΙΕΡΟΙΣ

18ΟΘΟΝΙΩΝ ΑΠΕΛΥΣΕΝ ΤΑ ΔΥΟ ΜΕΡΗ ΤΑ ΤΕ ΕΚΛΕΛΕΙΜΜΕΝΑ ΠΑΝΤΑ ΕΝ ΤΟΙΣ ΠΡΟΤΕΡΟΝ ΧΡΟΝΟΙΣ ΑΠΟΚΑΤΕΣΤΗΣΕΝ ΕΙΣ ΤΗΝ ΚΑΘΗΚΟΥΣΑΝ ΤΑΞΙΝ ΦΡΟΝΤΙΖΩΝ ΟΠΩΣ ΤΑ ΕΙΘΙΣΜΕΝΑ ΣΥΝΤΕΛΗΤΑΙ ΤΑΣ ΘΕΟΙΣ ΚΑΤΑ ΤΟ

19ΠΡΟΣΗΚΩΝ ΟΜΟΙΩΣ ΔΕ ΚΑΙ ΤΟ ΔΙΚΑΙΟΝ ΠΑΣΙΝ ΑΠΕΝΕΙΜΕΝ ΚΑΘΑΠΕΡ ΕΡΜΗΣ Ο ΜΕΓΑΣ ΚΑΙ ΜΕΓΑΣ ΠΡΟΣΕΤΑΞΕΝ ΔΕ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΚΑΤΑΠΟΡΕΥΟΜΕΝΟΥΣ ΕΚ ΤΕ ΤΩΝ ΜΑΧΙΜΩΝ ΚΑΙ ΤΩΝ ΑΛΛΩΝ ΤΩΝ ΑΛΛΟΤΡΙΑ

20ΦΡΟΝΗΣΑΝΤΩΝ ΕΝ ΤΟΙΣ ΚΑΤΑ ΤΗΝ ΤΑΡΑΧΗΝ ΚΑΙΡΟΙΣ ΚΑΤΕΛΘΟΝΤΑΣ ΜΕΝΕΙΝ ΕΠΟ ΤΩΝ ΙΔΙΩΝ ΚΤΗΣΕΩΝ ΠΡΟΕΝΟΗΘΗ ΔΕ ΚΑΙ ΟΠΩΣ ΕΞΑΠΟΣΤΑΛΩΣΙΝ ΔΥΝΑΜΕΙΣ ΙΠΠΙΚΑΙ ΤΕ ΚΑΙ ΠΕΖΙΚΑΙ ΚΑΙ ΝΗΕΣ ΕΠΙ ΤΟΥΣ ΕΠΕΛΘΟΝΤΑΣ

21ΕΠΙ ΤΗΝ ΑΙΓΥΠΤΟΝ ΚΑΤΑ ΤΕ ΤΗΝ ΘΑΛΑΣΣΑΝ ΚΑΙ ΤΗΝ ΗΠΕΙΡΟΝ ΥΠΟΜΕΙΝΑΣ ΔΑΠΑΝΑΣ ΑΡΓΥΡΙΚΑΣ ΤΕ ΚΑΙ ΣΙΤΙΚΑΣ ΜΕΓΑΛΑΣ ΟΠΩΣ ΤΑ Θ ΙΕΡΑ ΚΑΙ ΟΙ ΕΝ ΑΥΤΗΙ ΠΑΝΤΕΣ ΕΝ ΑΣΦΑΛΕΙΑΙ ΩΣΙΝ ΠΑΡΑΓΙΝΟΜΕ

22ΝΟΣ ΔΕ ΚΑΙ ΕΙΣ ΛΥΚΩΝ ΠΟΛΙΝ ΤΗΝ ΕΝ ΤΩΙ ΒΟΥΣΙΡΙΤΗΙ Η ΗΝ ΚΑΤΕΙΛΗΜΜΕΝΗ ΚΑΙ ΩΧΥΡΩΜΕΝΗ ΠΡΟΣ ΠΟΛΙΟΡΚΙΑΝ ΟΠΛΩΝ ΤΕ ΠΑΡΑΘΕΣΕΙ ΔΑΨΙΛΕΣΤΕΡΑΙ ΚΑΙ ΤΗΙ ΑΛΛΗΙ ΧΟΡΗΓΙΑΙ ΠΑΣΗΙ ΩΣ ΑΝ ΕΚ ΠΟΛΛΟΥ

23ΧΡΟΝΟΥ ΣΥΝΕΣΤΗΚΥΙΑΣ ΤΗΣ ΑΛΛΟΤΡΙΟΤΗΤΟΣ ΤΟΙΣ ΕΠΙΣΥΝΑΧΘΕΙΣΙΝ ΕΙΣ ΑΥΤΗΝ ΑΣΕΒΕΣΙΝ ΟΙ ΗΣΑΝ ΕΙΣ ΤΕ ΤΑ ΙΕΡΑ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΕΝ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΚΑΤΟΙΚΟΥΝΤΑΣ ΠΟΛΛΑ ΚΑΚΑ ΣΥΝΤΕΤΕΛΕΣΜΕΝΟΙ ΚΑΙ ΑΝ

24ΤΙΚΑΘΙΣΑΣ ΧΩΜΑΣΙΝ ΤΕ ΚΑΙ ΤΑΦΡΟΙΣ ΚΑΙ ΤΕΧΕΣΙΝ ΑΥΤΗΝ ΑΞΙΟΛΟΓΟΙΣ ΠΕΡΙΕΛΑΒΕΝ ΤΟΥ ΤΕ ΝΕΙΛΟΥ ΤΗΝ ΑΝΑΒΑΣΙΝ ΜΕΓΑΛΗΝ ΠΟΙΗΣΑΜΕΝΟΥ ΕΝ ΤΩΙ ΟΓΔΟΩΙ ΕΤΕΙ ΚΑΙ ΕΙΘΙΣΜΕΝΟΥ ΚΑΤΑΚΛΥΖΕΙΝ ΤΑ

25ΠΕΔΙΑ ΚΑΤΕΣΧΕΝ ΕΚ ΠΟΛΛΩΝ ΤΟΠΩΝ ΟΧΥΡΩΣΑΣ ΤΑ ΣΤΟΜΑΤΑ ΤΩΝ ΠΟΤΑΜΩΝ ΧΟΡΗΓΗΣΑΣ ΕΙΣ ΑΥΤΑ ΧΡΗΜΑΤΩΝ ΠΛΗΘΟΣ ΟΥΚ ΟΛΙΓΟΝ ΚΑΙ ΚΑΤΑΣΤΗΣΑΣ ΙΠΠΕΙΣ ΤΕ ΚΑΙ ΠΕΖΟΥΣ ΠΡΟΣ ΤΗΙ ΦΥΛΑΚΗΙ

26ΑΥΤΩΝ ΕΝ ΟΛΙΓΩΙ ΧΡΟΝΩΙ ΤΗΝ ΤΕ ΠΟΛΙΝ ΚΑΤΑ ΚΡΑΤΟΣ ΕΙΛΕΝ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΕΝ ΑΥΤΗΙ ΑΣΕΒΕΙΣ ΠΑΝΤΑΣ ΔΙΕΦΘΕΙΡΕΙ ΚΑΘΑΠΕ[Ρ ΕΡΜ]Σ ΚΑΙ ΩΡΟΣ Ο ΤΗΣ ΙΣΙΟΣ ΚΑΙ ΟΣΙΡΙΟΣ ΥΙΟΣ ΕΧΕΙΡΩΣΑΝΤΟ ΤΟΥΣ ΕΝ ΤΟΙΣ ΑΥΤΟΙΣ

27ΤΟΠΟΙΣ ΑΠΟΣΤΑΝΤΑΣ ΠΡΟΤΕΡΟΝ ΤΟΥΣ ΑΦΗΓΗΣΑΜΕΝΟΥΣ ΤΩΝ ΑΠΟΣΤΑΝΤΩΝ ΕΠΙ ΤΟΥ ΕΑΥΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΚΑΙ ΤΗΝ ΧΩΡΑΝ ΕΝΑ[ΝΤΙΩΣ]ΑΝΤΑΣ ΚΑΙ ΤΑ ΙΕΡΑ ΑΔΙΚΗΣΑΝΤΑΣ ΠΑΡΑΓΕΝΟΜΕΝΟΣ ΕΙΣ ΜΕΜΦΙΝ ΕΠΑΜΥΝΩΝ

28ΤΩΙ ΠΑΤΡΙ ΚΑΙ ΤΗΙ ΕΑΥΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΑΙ ΠΑΝΤΑΣ ΕΚΟΛΑΣΕΝ ΚΑΘΗΚΟΝΤΩΣ ΚΑΘ ΟΝ ΚΑΙΡΟΝ ΠΑΡΕΓΕΝΗΘΗ ΠΡΟΣ ΤΟ ΣΥΝΤΕΛΕΣΘΗΝΑ[Ι ΚΑΙ Τ]Α ΠΡΟΣΗΚΟΝΤΑ ΝΟΜΙΜΑ ΤΗΙ ΠΑΡΑΛΗΨΕΙ ΤΗΣ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΑΦΗΚΕΝ ΔΕ ΚΑΙ ΤΑ ΕΝ

29ΤΟΙΣ ΙΕΡΟΙΣ ΟΦΕΙΛΟΜΕΝΑ ΕΙΣ ΤΟ ΒΑΣΙΛΙΚΟΝ ΕΩΣ ΤΟΥ ΟΓΔΟΟΥ ΕΤΟΥΣ ΟΝΤΑ ΕΙΣ ΣΙΤΟΥ ΤΕ ΚΑΙ ΑΡΓΥΡΙΟΥ ΠΛΗΘΟΣ ΟΥΚ ΟΛΙΓΟΝ ΩΣΑΥΤ[ΩΣ ΔΕ] ΚΑΙ ΤΑΣ ΤΙΜΑΣ ΤΩΝ ΜΗ ΣΥΝΤΕΤΕΛΕΣΜΕΝΩΝ ΕΙΣ ΤΟ ΒΑΣΙΛΙΚΟΝ ΒΥΣΣΙΝΩΝ ΣΘ[…]

30ΩΝ ΚΑΙ ΤΩΝ ΣΥΝΤΕΤΕΛΕΣΜΕΝΩΝ ΤΑ ΠΡΟΣ ΤΟΝ ΔΕΙΓΜΑΤΙΣΜΟΝ ΔΙΑΦΟΡΑ ΕΩΣ ΤΩΝ ΑΥΤΩΝ ΧΡΟΝΩΝ ΑΠΕΛΥΣΕΝ ΔΕ ΤΑ ΙΕΡΑ ΚΑΙ ΤΗΣ Λ[ΟΓΙΖΟ]ΜΕΝΗΣ ΑΡΤΑΒΗΣ ΤΗΙ ΑΡΟΥΡΑΙ ΤΗΣ ΙΕΡΑΣ ΓΗΣ ΚΑΙ ΤΗΣ ΑΜΠΕΛΙΤΙΔΟΣ ΟΜΟΙ[ΩΣ]

31ΤΟ ΚΕΡΑΜΙΟΝ ΤΗΙ ΑΡΟΥΡΑΙ ΤΩΙ ΤΕ ΑΠΕΙ ΚΑΙ ΤΩΙ ΜΝΕΥΕΙ ΠΟΛΛΑ ΕΔΩΡΗΣΑΤΟ ΚΑΙ ΤΟΙΣ ΑΛΛΟΙΣ ΙΕΡΟΙΣ ΖΩΙΟΙΣ ΤΟΙΣ ΕΝ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΠΟΛΥ ΚΡΕΙΣΣΩΝ ΤΩΝ ΠΡΟ ΑΥΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΩΝ ΦΡΟΝΤΙΖΩΝ ΥΠΕΡ ΤΩΝ ΑΝΗΚΟΝ[ΤΩΝ]

32ΑΥΤΑ ΔΙΑ ΠΑΝΤΟΣ ΤΑ Τ ΕΙΣ ΤΑΣ ΤΑΦΑΣ ΑΥΤΩΝ ΚΑΘΗΚΟΝΤΑ ΔΙΔΟΥΣ ΔΑΨΙΛΩΣ ΚΑΙ ΕΝΔΟΞΩΣ ΚΑΙ ΤΑ ΤΕΛΙΣΚΟΜΕΝΑ ΕΙΣ ΤΑ ΙΔΙΑ ΙΕΡΑ ΜΕΤΑ ΘΥΣΙΩΝ ΚΑΙ ΠΑΝΗΓΥΡΕΩΝ ΚΑΙ ΤΩΝ ΑΛΛΩΝ ΤΩΝ ΝΟΜΙ[ΖΟΜΕΝΑ]

33ΤΑ ΤΕ ΤΙΜΙΑ ΤΩΝ ΙΕΡΩΝ ΚΑΙ ΤΗΣ ΑΙΓΥΠΤΟΥ ΔΙΑΤΕΤΗΡΗΚΕΝ ΕΠΙ ΧΩΡΑΣ ΑΠΟΚΟΛΟΥΘΟΣ ΤΟΙΣ ΝΟΜΟΙΣ ΚΑΙ ΤΟ ΑΠΙΕΙΟΝ ΕΡΓΟΙΣ ΠΟΛΥΤΕΛΕΣΙΝ ΚΑΤΕΣΚΕΘΑΣΕΝ ΧΟΡΗΓΗΣΑΣ ΕΙΣ ΑΥΤΟ ΧΡΥΣΙΟΥ ΤΕ Κ[ΑΙ ΑΡΓΥΡΙ]

34ΟΥ ΚΑΙ ΛΙΘΩΝ ΠΟΛΥΤΕΛΩΝ ΠΛΗΘΟΣ ΟΥΚ ΟΛΙΓΟΝ ΚΑΙ ΙΕΡΑ ΚΑΙ ΝΑΟΥΣ ΚΑΙ ΒΩΜΟΥΣ ΙΔΡΥΣΑΤΟ ΤΑ ΤΕ ΠΡΟΣΔΕΟΜΕΝΑ ΕΠΙΣΚΕΥΗΣ ΠΡΟΣΔΙΩΡΘΩΣΑΤΟ ΕΧΩΝ ΘΕΟΥ ΕΥΕΡΓΕΤΙΚΟΥ ΕΝ ΤΟΙΣ ΑΝΗΚΟ[ΥΣΙ ΕΧΩΝ]

35ΘΕΙΟΝ ΔΙΑΝΟΙΑΝ ΠΡΟΣΠΥΝΘΑΝΟΜΕΝΟΥΣ ΤΑ ΤΕ ΤΩΝ ΙΕΡΩΝ ΤΙΜΙΩΤΑΤΑ ΑΝΑΝΕΟΥΤΟ ΕΠΙ ΤΗΣ ΕΑΥΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΩΣ ΚΑΘΗΚΕΙ ΑΝΘ ΩΝ ΔΕΔΩΚΑΣΙΝ ΑΥΤΩΙ ΟΙ ΘΕΟΙ ΥΓΙΕΙΑΝ ΝΙΚΗΝ ΚΡΑΤΟΣ ΚΑΙ ΤΑ ΑΛΛ ΑΓΑΘ[Α …]

36ΤΗΣ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΔΙΑΜΕΝΟΥΣΗΣ ΑΥΤΩΙ ΚΑΙ ΤΟΙΣ ΤΕΚΝΟΙΣ ΕΙΣ ΤΟΝ ΑΠΑΝΤΑ ΧΡΟΝΟΥ ΑΓΑΘΗΙ ΤΥΧΗΙ ΕΔΟΞΕΝ ΤΟΙΣ ΙΕΡΕΥΣΙ ΤΩΝ ΚΑΤΑ ΤΗΝ ΧΩΡΑΝ ΙΕΡΩΝ ΠΑΝΤΩΝ ΤΑ ΥΠΑΡΧΟΝΤΑ Τ[…]

37ΤΩΙ ΑΙΩΝΟΒΙΩΙ ΒΑΣΙΛΕΙ ΠΤΟΛΕΜΑΙΩΙ ΗΓΑΠΗΜΕΝΩΙ ΥΠΟ ΤΟΥ ΦΘΑ ΘΕΩΙ ΕΠΙΦΑΝΕΙ ΕΥΧΑΡΙΣΤΩΙ ΟΜΟΙΩΣ ΔΕ ΚΑΙ ΤΑ ΤΩΝ ΓΟΝΕΩΝ ΑΥΤΟΝ ΘΕΩΝ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΩΝ ΚΑΙ ΤΑ ΤΩΝ ΠΡΟΓΟΝΩΝ ΘΕΩΝ ΕΥΕΡΓ[ΕΤΩΝ ΚΑΙ ΤΑ]

38ΤΩΝ ΘΕΩΝ ΑΔΕΛΦΩΝ ΚΑΙ ΤΑ ΤΩΝ ΘΕΩΝ ΣΩΤΗΡΩΝ ΕΠΑΥΞΗΝ ΜΕΓΑΛΩΣ ΣΤΗΣΑΙ ΔΕ ΤΟΥ ΑΙΩΝΟΒΙΟΥ ΒΑΣΙΛΕΩΣ ΠΤΟ[ΛΕ]ΜΑΙΟΥ ΘΕΟΥ ΕΠΙΦΑΝΟΥΣ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΥ ΕΙΚΟΝΑ ΕΝ ΕΚΑΣΤΩΙ ΙΕΡΩΙ ΕΝ ΤΩΙ ΕΠΙΦΑ[ΝΕΙΩΙ …]

39Η ΠΡΟΣΟΝΟΜΑΣΘΗΣΕΤΑΙ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ ΤΟΥ ΕΠΑΜΥΝΑΝΤΟΣ ΤΗΙ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΗΙ ΠΑΡΕΣΤΗΣΕΤΑΙ Ο ΚΥΡΙΩΤΑΤΟΣ ΘΕΟΣ ΤΟΥ ΙΕΡΟΥ ΔΙΔΟΥΣ ΑΥΤΩΙ ΟΠΛΟΝ ΝΙΚΗΤΙΚΟΝ Α ΕΣΤΑΙ ΚΑΤΕΣΚΕΥΑΣΜΕΝ[ΟΝ ΚΑΤΑ ΤΟΝ]

40ΤΡΟΠΟΝ ΚΑΙ ΤΟΥΣ ΙΕΡΕΙΣ ΘΕΡΑΠΕΥΕΙΝ ΤΑΣ ΕΙΚΟΝΑΣ ΤΡΙΣ ΤΗΣ ΗΜΕΡΑΣ ΚΑΙ ΠΑΡΑΤΙΘΕΝΑΙ ΑΥΤΑΙΣ ΙΕΡΟΝ ΚΟΣΜΟΝ ΚΑΙ Τ ΑΛΛΑ ΤΑ ΝΟΜΙΖΟΜΕΝΑ ΣΥΝΤΕΛΕΙΝ ΚΑΘ Α ΚΑΙ ΤΟΙΣ ΑΛΛΟΙΣ ΘΕΟΙΣ ΕΝ [ΤΩΙ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΚΑΙ ΤΑΙΣ ΠΑ]

41ΝΗΓΥΡΕΣΙΝ ΙΔΡΥΣΑΣΘΑΙ ΔΕ ΒΑΣΙΛΕΙ ΠΤΟΛΕΜΑΙΩΙ ΘΕΩΙ ΕΠΙΦΑΝΕΙ ΕΥΧΑΡΙΣΤΩΙ ΤΩΙ ΕΚ ΒΑΣΙΛΕΩΣ ΠΤΟΛΕΜΑΙΟΥ ΚΑΙ ΒΑΣΙΛΙΣΣΗΣ ΑΡΣΙΝΟΗΣ ΘΕΩΝ ΦΙΛΟΠΑΤΟΡΩΝ ΞΟΑΝΟΝ ΤΕ ΚΑΙ ΝΑΟΝ ΧΡ[ΗΣΘΑΙ ΠΑΝΤΩΝ ΤΩΝ]

42ΙΕΡΩΝ ΚΑΙ ΚΑΘΙΔΡΥΣΑΙ ΕΝ ΤΟΙΣ ΑΔΥΝΑΤΟΙΣ ΜΕΤΑ ΤΩΝ ΑΛΛΩΝ ΝΑΩΝ ΚΑΙ ΕΝ ΤΑΙΣ ΜΕΓΑΛΑΙΣ ΠΑΝΗΓΥΡΕΣΙΝ ΕΝ ΑΙΣ ΕΞΟΔΕΙΑΙ ΤΩΝ ΝΑΩΝ ΓΙΝΟΝΤΑΙ ΚΑΙ ΤΟΝ ΤΟΥ ΘΕΟΥ ΕΠΙΦΑΝΟΥΣ ΕΥ[ΧΑΡΙΣΤΟΥ …]

43ΧΟΔΕΥΕΙΝ ΟΠΩΣ Δ ΕΥΣΗΜΟΣ ΗΙ ΝΥΝ ΤΕ ΚΑΙ ΕΙΣ ΤΟΝ ΕΠΕΙΤΑ ΧΡΟΝΟΝ ΕΠΙΚΕΙΣΘΑΙ ΤΩΙ ΝΑΩΙ ΤΑΣ ΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΥΣ ΧΡΥΣΑΣ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΔΕΚΑ ΑΙΣ ΠΡΟΣΚΕΙΣΕΤΑΙ ΑΣΠΙΣ […]

44ΤΩΝ ΑΣΠΙΔΟΕΙΡΔΩΝ ΒΑΣΙΛΕΩΝ ΤΩΝ ΕΠΙ ΤΩΝ ΑΛΛΩΝ ΝΑΩΝ ΕΣΤΑΙ Δ ΑΥΤΩΝ ΕΝ ΤΩΙ ΜΕΣΩΙ Η ΚΑΛΟΥΜΕΝΗ ΒΑΣΙΛΕΙΑ Ψ ΧΕΝΤ ΗΝ ΠΕΡΙΘΕΜΕΝΟΣ ΕΙΣΗΛΘΕΝ ΕΙΣ ΤΟ ΕΝ ΜΕΜΦ[ΕΙ ΙΕΡΟΝ]

45ΤΕΛΕΣΘΗΙ ΤΑ ΝΟΜΙΖΟΜΕΝΑ ΤΗΙ ΠΑΡΑΛΗΨΕΙ ΤΗΣ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΕΠΙΘΕΙΝΑΙ ΔΕ ΚΑΙ ΕΠΙ ΤΟΥ ΠΕΡΙ ΤΑΣ ΒΑΣΙΛΕΙΑΣ ΤΕΤΡΑΓΩΝΟΥ ΚΑΤΑ ΤΟ ΠΡΟΕΙΡΗΜΕΝΩΝ ΒΑΣΙΛΕΙΟΝ ΦΥΛΑΚΤΗΡΙΑ ΧΡ[…]

46ΤΙ ΕΣΤΙΝ ΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΩΣ ΤΟΥ ΕΠΙΦΑΝΕΙ ΠΕΙΗΣΑΝΤΟΣ ΤΗΝ ΤΕ ΑΝΩ ΧΩΡΑΝ ΚΑΙ ΤΗΝ ΤΡΙΑΚΑΔΑ ΤΟΥΤΟΥ ΜΕΣΟΡΗΙ ΕΝ ΗΙ ΤΑ ΓΕΝΕΘΛΙΑ ΤΟΥ ΒΑΣΙΛΕΩΣ ΑΓΕΤΑΙ ΟΜΟΙΩΣ ΔΕ ΚΑΙ []

47ΕΝ ΗΙ ΠΑΡΕΛΑΒΕΝ ΤΗΝ ΒΑΣΙΛΕΙΑΝ ΠΑΡΑ ΤΟΥ ΠΑΤΡΟΣ ΕΠΩΜΥΝΟΥΣ ΝΕΝΟΜΙΚΑΣΙΝ ΕΝ ΤΟΙΣ ΙΕΡΟΙΣ ΑΙ ΔΗ ΠΟΛΛΩΝ ΑΓΑΘΩΝ ΑΡΧΗΓΟΙ ΠΑΣΙΝ ΕΙΣΙΝ ΑΓΕΙΝ ΤΑΣ ΗΜΕΡΑΣ ΤΑΥΤΑΣ ΕΟΡΤ[ΗΝ ΕΝ ΤΟΙΣ ΕΙΣ ΤΗΝ ΑΙ]

48ΓΥΠΤΟΝ ΙΕΡΟΙΣ ΚΑΤΑ ΜΗΝΑ ΚΑΙ ΣΥΝΤΕΛΕΙΝ ΕΝ ΑΥΤΟΙΣ ΘΥΣΙΑΣ ΚΑΙ ΣΠΟΝΔΑΣ ΚΑΙ Τ ΑΛΛΑ ΤΑ ΝΟΜΙΖΟΜΕΝΑ ΚΑΘ Α ΚΑΙ ΕΝ ΤΑΙΣ ΑΛΛΑΙΣ ΠΑΝΗΓΥΡΕΣΙΝ ΤΑΣ ΤΕ ΓΙΝΟΜΕΝΑΣ ΠΡΟΘ[ΗΝΑΙ …]

49ΡΕΧΟΥΜΕΝΟΙΣ ΕΝ ΤΟΙΣ ΙΕΡΟΙΣ ΑΓΕΙΝ ΔΕ ΕΟΡΤΗΝ ΚΑΙ ΠΑΝΗΓΥΡΙΝ ΤΩΙ ΑΙΩΝΟΒΙΩΙ ΚΑΙ ΗΓΑΠΗΜΕΝΩΙ ΥΠΟ ΤΟΥ ΦΘΑ ΒΑΣΙΛΕΙ ΠΤΟΛΕΜΑΙΩΙ ΘΕΩΙ ΕΠΙΦΑΝΕΙ ΕΥΧΑΡΙΣΤΩΙ ΚΑΤ ΕΝΙ[ΑΥΤΟΝ …]

50ΧΩΡΑΝ ΑΠΟ ΤΗΣ ΝΟΥΜΗΝΙΑΣ ΤΟΥ ΘΩΥΘ ΕΦ ΗΜΕΡΑΣ ΠΕΝΤΕ ΕΝ ΑΙΣ ΚΑΙ ΣΤΕΦΑΝΗΦΟΡΗΣΟΥΣΙΝ ΣΥΝΤΕΛΟΥΝΤΕΣ ΘΥΣΙΑΣ ΚΑΙ ΣΠΟΝΔΑΣ ΚΑΙ Τ ΑΛΛΑ ΤΑ ΚΑΘΗΚΟΝΤΑ ΠΡΟΣΑΓΟΡΕ[…]

51ΚΑΙ ΤΟΥ ΘΕΟΥ ΕΠΙΦΑΝΟΥΣ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΥ ΙΕΡΕΙΣ ΠΡΟΣ ΤΟΙΣ ΑΛΛΟΙΣ ΟΝΟΜΑΣΙΝ ΤΩΝ ΘΕΩΝ ΩΝ ΙΕΡΑΤΕΥΟΥΣΙ ΚΑΙ ΚΑΤΑΧΩΡΙΣΑΙ ΕΙΣ ΠΑΝΤΑΣ ΤΟΥΣ ΧΡΗΜΑΤΙΣΜΟΥΣ ΚΑΙ ΕΙΣ ΤΟΥ Δ[…]

52ΙΕΡΑΤΕΙΑΝ ΑΟΥΤΟΥ ΕΞΕΙΝΑΙ ΔΕ ΚΑΙ ΤΟΙΣ ΑΛΛΟΙΣ ΙΔΙΩΤΑΙΣ ΑΓΕΙΝ ΤΗΝ ΕΟΡΤΗΝ ΚΑΙ ΤΟΝ ΠΡΟΕΙΡΗΜΕΝΟΝ ΝΑΟΝ ΙΔΡΥΕΣΘΑΙ ΚΑΙ ΕΧΕΙΝ ΠΑΡ ΑΥΤΟΙΣ ΣΥΝΤΕΛΟΥ[ΜΕΝΟΙΣ …]

53[…]ΙΣ ΚΑΤ ΕΝΙΑΥΤΟΝ ΟΠΩΣ ΓΝΩΡΙΜΟΝ ΗΙ ΔΙΟΤΙ ΟΙ ΕΝ ΑΙΓΥΠΤΩΙ ΕΥΞΟΥΣΙ ΚΑΙ ΤΙΜΩΣΙ ΤΟΝ ΘΕΟΝ ΕΠΙΦΑΝΗ ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΝ ΒΑΣΙΛΕΑ ΚΑΘΑΠΕΡ ΝΟΜΙΜΟΝ ΕΣΤΙΝ […]

54[…]ΤΕΡΟΥ ΛΙΘΟΥ ΤΟΙΣ ΤΕ ΙΕΡΟΙΣ ΚΑΙ ΕΓΧΩΡΙΟΙΣ ΚΑΙ ΕΛΛΗΝΙΚΟΙΣ ΓΡΑΜΜΑΣΙΝ ΚΑΙ ΣΤΗΣΑΙ ΕΝ ΕΚΑΣΤΩΙ ΤΩΝ ΤΕ ΠΡΩΤΩΝ ΚΑΙ ΔΕΥΤΕΡΩ[Ν ΤΑΞΕΩΝ ΙΕΡΩΙ …]



Champollion sabia agora do que se tratava, de fato era um decreto escrito em pedra de basalto, fragmentado, que fora colocado nos principais templos do Egito com 54 linhas restantes escritas em - C Grego, 32 linhas restantes em - B Demótico (ou novo Egípcio) e 14 linhas restantes em – A Hieróglifo (velho Egípcio).

O primeiro passo para considerar a leitura dos textos era saber se o texto deveria ser lido da esquerda para a direita e/ou vice-versa, talvez foi somente neste ponto que Champollion fez uso da escola mística, acreditando que os seres vivos olhavam para o inicio da frase.

Ele estava certo, então a partir dai usou de pura lógica para continuar seu trabalho. Começou por sobrepor os nomes que aparecem dentro de cartouches (usados para encerrar nomes de reis e rainhas), e por associação encontrou letras que formavam os nomes de Ptolomeu.

Comparado com o nome de Cleópatra identificou um alfabeto simples.

Também não teve dificuldade para encontrar numerais ao comparar as datas escritas em grego com o padrão repetitivo de caracteres do egípcio antigo.



Uma vês decifrado o alfabeto e os numeros, Champollion encontrou outros grupos de caracteres bi-consonantais e tri-consonantais.

Podemos entender como estes grupos funcionavam se adaptarmos eles para o idioma português da seguinte forma:

Se quisermos escrever ramo (como um ramo de folhas) desenhamos o ramo;

Se quisermos escrever o nome Ramos (como em Tonny Ramos) excluímos as vogais, colocamos o desenho do “ramo” e adicionamos um ideograma de nome (pessoal).

Se eu quiser escrever remo uso o mesmo símbolo com o ideograma de remo na frente.



Era assim que os Egípcios antigos faziam.

Agora só o que tinha que fazer era encontrar as palavras egípcias antigas que haviam sobrevivido sem alterações no idioma Copto e/ou no hebraico.



Vejamos abaixo a tradução da linha 10 em hieróglifo.



Tradução da linha 10 da seção de hieróglifos

AK- ...um cesto de papiro no canto esquerdo do templo deixado às duas senhoras Nekhbet e Wadjit que iluminam as duas terras, o alto e o baixo Egito. Uma vez que no quarto mês da inundação Shemu ultimo dia do nascimento do Deus bondoso e abençoado com a vida eterna fica estabelecido a celebração na terra de Horus Her Taui da mesma forma que era procedido antigamente. No segundo mês de akhet no dia 17 celebra-se a coroação de quando assumiu o reinado de seu pai. Eis agora o começo da lista de oferendas...



Graças a Champollion e sua grande dedicação a estes símbolos, ícones e índices hoje somos capazes de ler textos antigos, saber mais sobre nossas raízes históricas, entender melhor nossos antepassados para viver com plenitude em dias atuais.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Desenhos ganham vida depois de 3800 anos



O idioma falado no Egito antigo bem como muito da cultura antiga se apagou como uma vela soprada pelo vento para nunca mais ser lembrada? Talvez não.

A ignorância e a intolerância foram as responsáveis por estas perdas. Hoje podemos ter um pouco desse brilho graças bravos homens que arriscaram suas vidas para salvar um livro ou simplesmente um texto.

O idioma falado e escrito atualmente no Egito é o árabe egípcio. No entanto, um pequeno grupo de cristãos ortodoxos ainda preserva muito da forma original do idioma egípcio que chega ate os nossos dias sob a forma do idioma Copto. So que o Copto não é o idioma original.

Esta importante peça que não encontramos no quebra-cabeças da historia da nossa civilização foi tratada de forma muito interessante no lindo trabalho “Cosmos”.

Ainda me lembro dos domingos de manha no inicio dos anos 80, quando a Rede Globo levava ao ar a série Cosmos, produzida originalmente pela KCET e Carl Sagan Productions, em associação com a BBC e a Polytel International, veiculada nos Estados Unidos pela PBS. Carl Sagan e Ann Druyan, sua esposa, se envolveram neste trabalho de corpo e alma.

Quem apresentava o programa era o próprio Carl Sagan. Sem duvida ele foi um dos melhores professores que já tive, não que eu tenha tido aulas com ele pessoalmente, mas a forma que ele explicava fazendo uso de recursos de computação gráfica que ainda hoje são atuais, era incrível.

No episodio As margens do oceano cósmico "The shores of the cosmic ocean" Sagan conta a historia de como Eratostenes (Ερατοσθένης nasceu em Cirene, Grécia no ano de 285 - 194 a.C. ) que com ferramentas simples como sombras de colunas, sombras num poço a 800 metros dali e de sua brilhante mente, consegui não só afirmar que a terá era redonda, mas também dizer que a circunferência da terra era de aproximadamente 40.000 km (erro de aproximadamente 1%). Tivemos que esperar 2700 anos para que Fernão de Magalhães comprovasse essa teoria com a sua viagem de circunavegação no globo terrestre.

Assim como Eratostens, outros sábios da antiguidade fizeram descobertas incríveis que infelizmente se perderam no tempo. Todo este material estava na antiga biblioteca de Alexandria, um ambiente de trabalho para os melhores cérebros da época.

As instalações de Alexandria contavam com dez salas gigantescas, jardins botânicos, um zoológico privado, salas de dissecação, etc.

Cada barco que passava pelo proto de Alexandria era parado pelas autoridades que recolhiam todos os livros. Estes eram transcritos e então devolvidos.

A biblioteca contava ainda com volumes de Eron e suas incríveis maquinas a vapor, Herófilo e suas convicções sobre o cérebro e não o coração ser a sede da inteligência, inúmeros livros de Sófocles, dos quais só nos chega hoje um pequeno conto chamado “Edipo Rei”.

Podemos comparar a perda dos livros de Sófocles como se não conhecêssemos todo o material produzido por Shakespeare, sobrando apenas pequenos contos como por exemplo o “The Winter's Tale”.

A própria cidade de Alexandria foi na época a maior cidade que já existiu, foi lá provavelmente que a palavra cosmopolita surgiu.

A trágica historia da biblioteca se mistura com a da ultima cientista que lá trabalhou - Hipacia, (Υπατία - Alexandria 370 d.C.) recentemente retratada por Rachel Weisz no incrível filme de Alejandro Amenábar “Agora”.

Sagan conta como esta Astrônoma, inventora e matemática foi covardemente esfolada até os ossos com conchas de Abalone, morta e a biblioteca destruída, em nome da antiga luta entre ciência e religião, por uma turba de fanáticos paroquianos em nome de Cirilo, patriarca de Alexandria, mais tarde canonizado como São Cirilo (o filme não passou no Brasil possivelmente por ter encontrado dificuldades com a igreja católica).

Porem assim como os antigos faraós embalsamados a espera de renascer na vida eterna os antigos hieróglifos ganham vida.

Encontrei recentemente um material muito legal colocado no Youtube por Neftis888 que chega a ser assustador.

Apesar de não sabermos exatamente como era o som do idioma Egípcio antigo conhecemos as consoantes que compunham as palavras graças aos novos trabalhos de arqueólogos e lingüistas. O que vemos a seguir trata-se dos primeiros capítulos da história de Sinuhe. A transliteração toda segue o trabalho realizado por Hannig em1995. Para traduções publicadas, ver Gardiner (1916), pp 168-176; Lichtheim (1975), pp 222-235;

A História de Sinuhe se passa durante o reinado do rei Amenemhat III, em aproximadamente 1800 antes de Cristo e trata dos dilemas pessoais de um alto funcionário que ao saber de uma trama contra o rei decide fugir. O trabalho descreve em detalhes as emoções humanas e seus desfechos, chegou mesmo a ser comparado com Shakespeare em sua complexidade.

Agora ouça e leia uma historia em seu próprio idioma que ficou morta por mais de 3700 anos e voltou viver graças a linda ciência da Psico-Pictografia.


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A Beleza do individuo na psico-pictografia



É fato que a beleza, esteja ela na musica, no espírito humano, nos objetos, nos lugares ou mesmo no rosto de uma pessoa nos causa extrema satisfação, prazer, significado. No entanto caberá ao leitor discernir o que de fato é belo e como usar a beleza para inspirar, produzir e fazer o próximo crescer, nunca no sentido de menosprezar o que não é considerado belo. Segundo Victor Hugo, “a morte e a beleza são cosias profundas, que contem tanto azul e tanto negro que parecem irmãs terríveis e fecundas com o mesmo enigma e igual mistério”.

O conceito da beleza é humano, mas suas expressões são oriundas da natureza, baseada em diretrizes biológicas.Se observarmos por este aspecto, a beleza tem papel fundamental no processo evolutivo de varias espécies de animais e plantas.

A Neotenia

Graças a beleza que uma mãe vê no seu filho com os seus próprios traços juvenilizados (a neotenia - νέος [jovem] e τείνειν [tendência a]) que é a mesma beleza que uma loba vê em seu filhote, que as mães tendem a proteger mais aquele que é mais “bonitinho”, “fofinho”, etc.

A proteção dos pais devido a neotenia acontece com a maioria dos mamíferos, aves, e etc.. Existe um caso muito interessante da gorila Koko, que foi treinada na linguagem de sinais pela Dra. Francine 'Penny' Patterson em Woodside, Califórnia para se comunicar com humanos. Ao ver a foto de um filhote de gato num livro pediu “desesperadamente” a sua treinadora um gatinho. Quando finalmente a Dra. Penny deu um gato a Koko, ela o acariciava e cuidava dele como um filhote.

A beleza é sem duvida pessoal, o que uns acham bonito não inspiram tanta satisfação em outros, “a beleza está nos olhos de quem a vê”. No entanto, muitos tentaram no decorrer da historia decifrar os padrões de beleza como um código embutido na natureza.

Leonardo de Pisa ou chegou muito próximo, nasceu em 1170, também conhecido como Fibonacci ou fillius Bonacci, apelido dado em referencia ao nome de seu pai, Bonacci, após a sua morte em 1250. Foi um matemático italiano, dito como o primeiro grande matemático europeu depois da decadência ocorrida na Grécia, seu nome voltou a pauta depois do livro e do filme “O Codigo Davinci”.

Fibonacci viajou pelos países do mediterrâneo para estudar com os matemáticos árabes de seu tempo. Em 1202, com 32 anos de idade, publicou Liber Abaci, Livro do Ábaco, que nos chegou graças a sua segunda edição de 1228. Esse livro contém uma grande quantidade de assuntos relacionados com a Aritmética e a Álgebra da época. Fibonacci foi talvez o principal responsável pela substituição dos algarismos árabes pelos algarismos romanos, usados na época.

Para compreender essa superioridade, basta tentar efetuar a divisão de 2868 por 12, ou a multiplicação desses mesmos números com a numeração romana.

A Seqüência Fibonacci – ou Seqüência Auria

Alem dessa grande contribuição para a matemática, Fibonacci encontrou um padrão matemático muito simples, presente em diversos aspectos da natureza e no dia-a-dia das pessoas.

A Sequência de Fibonacci, que consiste em uma sucessão de números, tais que, definindo os dois primeiros números da sequência como 0 e 1, os números seguintes serão obtidos por meio da soma dos seus dois antecessores.

A razão entre um numero e o outro é o que os renascentistas chamavam de PROPORÇÃO ÁUREA, que oscila sempre na proporção de 1 áurea 1.618.

Para eles tudo o que era belo deveria ter esta relação. Podemos encontrar a proporção áurea em diversas obras egípcias, gregas, renascentistas e nas dos dias atuais.

Mascara Fibonacci

O ex-cirurgião plástico Dr. Stephen Marquardt criou a mascara Fibonacci para se obter o rosto mais aceito dentro de um suposto padrão de beleza. Levando em consideração as relações existentes entre as diversas medidas de um rosto, a distancia dos olhos em relação ao queixo, a distancia da testa em relação a boca, o afastamento dos olhos em relação a moldura do rosto, etc. chegamos a uma máscara padrão. Eu tomei a liberdade de criar uma mascara Fibonacci para o meu padrão de beleza e curiosamente parece muito com minha esposa (rsrs).